Connect with us

Notícias

Madri, na Espanha, terá taxis a hidrogênio

Artigo

em

Conselheiro dos Transportes de Madri em visita à Federação de Taxistas, onde foi conhecer o projeto

Projeto permitirá que 15 mil taxistas utilizem um veículo elétrico a hidrogênio a um custo competitivo em comparação com tecnologias tradicionais

ALEXANDRE PELEGI

O Conselheiro de Transportes e Infraestruturas da Comunidade de Madri, na Espanha, David Pérez, garantiu há uma semana que os primeiros táxis verdes de hidrogênio estarão em serviço nas ruas da capital do país em menos de um ano.

Pérez afirmou que o uso deste tipo de veículo se generalizará progressivamente no setor como alternativa aos que utilizam combustíveis fósseis.

O Conselheiro adiantou a informação durante uma visita à Federação dos Táxis Profissionais de Madri, onde esteve na segunda-feira, 16 de agosto de 2021, para conhecer o projeto do hidrogénio verde ‘como serviço’, que conta com a colaboração do governo madrilenho.

O projeto, desenvolvido pela Federação, visa permitir aos taxistas apostar neste tipo de viatura a um custo competitivo e sem despesas iniciais.

Na visita, o conselheiro afirmou que o hidrogênio tem se postulado como uma das grandes alternativas, “é uma tecnologia totalmente inovadora, hoje é cara de produzir e difícil de armazenar, portanto, projetos como o que conhecemos nos permitem enfrentar esse desafio para o futuro“, afirmou.

O governo da região de Madri promoveu uma linha de crédito de 53 milhões de euros (cerca de R$ 330 milhões) para a mobilidade elétrica, da qual podem se beneficiar mais de 15 mil taxistas autônomos, além de pequenas e médias empresas e grandes empresas. Os motoristas de táxi e veículos de aplicativos de transporte recebem um acréscimo de 10% ao valor do auxílio consignado, até 7.000 euros (R$ 43,3 mil).

Outra linha de ajuda está direcionada à instalação de pontos de recarga para veículos elétricos, para a qual serão alocados quase 16 milhões de euros (cerca de R$ 99 milhões) e onde o valor da ajuda pode chegar a 70 por cento do investimento.

Os veículos com célula a combustível ou hidrogênio estão em situação pior no país do que os elétricos, devido à falta de pontos de recarga disponíveis. No entanto, a instalação de novas infraestruturas e o avanço das tecnologias e técnicas de armazenamento deste elemento melhoram as suas perspectivas de utilização.

No início deste ano, dia 28 de janeiro de 2021, foi inaugurada em Madri a primeira estação de recarga para este tipo de veículo pela Toyota Espanha, Enagás, Urbaser, Metallic Carbides, Sumitomo Corporation Espanha e a Confederação Espanhola de Empregadores de Postos de Serviço (CEEES).

Por sua vez, o presidente da Federação dos Táxis Profissionais de Madrid, Julio Sanz, qualificou de “emocionante” o projeto do veículo elétrico com hidrogênio verde que coincide com os objetivos da Comunidade de Madri de buscar alternativas aos combustíveis fósseis, melhorar o meio ambiente, renovar a tecnologia e estar na vanguarda das modalidades de transporte.

Na visita que o conselheiro fez às instalações da Federação, estiveram também presentes os responsáveis ​​pela Toyota Espanha, que aproveitaram para mostrar seu modelo a hidrogênio, o Toyota Mirai. É provável que este automóvel seria um dos escolhidos para desempenhar as funções de transporte público na Comunidade de Madrid. A outra opção disponível seria o Hyundai Nexo.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

PUBLICIDADE

Notícias

Mais vacinas e menos mortes na Itália, Espanha, Rússia e países orientais do abismo

Artigo

em

Por

EU ‘Áustria O fechamento ameaça, embora seletivamente. lá LituâniaEm vez disso, ela realmente aplicou no tapete, incluindo um toque de recolher estrito. lá Grã Bretanha Ele avança direto na ausência de restrições, apesar dos números crescentes e alarmantes: resistindo até mesmo para reintroduzir (mas provavelmente chegaremos lá) métricas mínimas de senso comum, como máscaras. lá Rússia Mais gritos mortos agora do que no início da crise de Covid.

Este é o cenário em que você resiste à evidência mais clichê, embora com exceções: há menos mortes em estados que avançam para o campanha de vacinação (pelo menos duas doses) em que você se destaca Itália NS Espanha. Eles lideram, com 70,6% e 79% (fonte da Universidade de Oxford), à frente dos grandes países europeus com maior parcela de vacinados, não esquecendo a situação contrária no que diz respeito a restrições como o corredor verde que não faz na Espanha tem adoptada, com a possibilidade de aplicar as regiões às restrições locais.

A tendência permanece verdadeira mesmo que inclua países médios e pequenos, veja Portugal, o mais virtuoso de todos, pois 86% dos cerca de 10 milhões de habitantes foram vacinados.

Efeitos colaterais benéficos

Esses três países têm a menor taxa de mortalidade da Europa. É verdade que o número de infectados na Itália não está diminuindo e já está aumentando, mas os especialistas avaliam isso positivamente, pelo menos até certo nível. Este é um compromisso passe verde Aqueles que não desejam ser vacinados são obrigados a fazer cotonetes frequentes e isso leva à detecção de mais pessoas infectadas, que então têm que ficar em casa em quarentena, limitando a propagação do vírus. Um efeito colateral que não foi totalmente antecipado e cuidadosamente observado antes França Ontem, registrou quase as mesmas mortes (35) que na Itália (39) em face da campanha de vacinação, que chegou a 66,7%. Outros países em que o Corredor Verde foi adotado são, em várias formas, Sérvia e a Bulgária.

Em vez disso, decole no número de mortos Grã Bretanha (Cinquenta mil ferimentos diários, mais de 12 vezes na Itália e 180 mortes) e GréciaOnde 66,7% e 61% da população foram vacinados, respectivamente. em um Grécia 36 mortes em face de 10 milhões de pessoas.

oÁustria, Que também registra 61,5% das pessoas que já foram vacinadas, está tão preocupado com a inundação da terapia intensiva que lançou um plano de 5 etapas que pode levar à reimposição do bloqueio aos não vacinados. Já feito, mas para todos os residentes, em Lituânia, Entre os países que avançaram na campanha de vacinação entre os do Leste em 61,1%: Aqui o bloqueio vai durar pelo menos um mês.

Dessas alturas, a lacuna de atraso nas campanhas de vacinação se abre, começando com Rússia Apenas 32% da população está vacinada. então lá Romênia (30,2%) são forçados a exportar pacientes para a Hungria Bulgária (20,7%), Polônia (52%), Ucrânia 15,9%), Hungria (59,3%).

E então acontece que a Rússia proíbe muitas atividades produtivas e comerciais por pelo menos dez dias para evitar encontros.

Inevitabilidade após 1075 mortes registradas no país nas últimas 24 horas, o máximo em um dia desde o início da epidemia: informou a TASS, citando dados do Centro de Operações do Vírus Corona. No país, também há um novo pico de novos casos confirmados de Covid: 37.678 no último dia.

Efeitos na economia

Enquanto isso, a Itália recebe as saudações do Financial Times, que vincula o progresso econômico a um robusto programa de vacinação e à introdução do corredor verde. O Handelsblatt da Alemanha observa que sob o primeiro-ministro Mario Draghi, a Itália está “se separando de outros grandes países europeus em termos de crescimento econômico”. Também aqui, a par das reparações efectuadas, é mencionada a aplicação estrita do corredor verde. A distinção entre países regredindo de volta à pandemia, com uma desaceleração inevitável na recuperação econômica, e aqueles que a contêm são, na verdade, as vacinas e controles relacionados, da certificação verde ao distanciamento e máscaras. E a Itália, onde, ao contrário da Grã-Bretanha, as máscaras ainda são obrigatórias em ambientes fechados e, ao contrário do resto da Europa, sem o corredor verde, você não consegue nem entrar no local de trabalho, ela desapareceu do ranking dos 15 países. Com vários casos de cobiça. Ele caiu para a 20ª colocação e foi precedido não apenas por Grã-Bretanha, Rússia, Turquia e Estados Unidos, que lideraram o ranking, mas também Alemanha e França.

O caso mais semelhante à Itália é a Grécia (27º no ranking), onde não há licença verde obrigatória no local de trabalho, mas seja público ou privado, os trabalhadores não vacinados são obrigados a dobrar o buffer semanal, a ser feito às suas próprias custas . Um incentivo indubitável para vacinar, como o Corredor Verde Italiano.

Paolo Ricci Petit

© Reprodução reservada

Continue lendo

Notícias

BYD expande operações na Espanha com encomenda de dois novos ônibus

Artigo

em

Por

Esta será a primeira vez que o transporte público elétrico estará disponível para passageiros de ônibus na Olesa de Motserrat. Foto: Divulgação.

Veículos de 12 metros foram encomendados pela operadora TGO DX

JESSICA MARQUES

A BYD vai expandir as operações na Espanha com a encomenda de dois novos ônibus. Os veículos fornecerão um serviço de eletromobilidade para a população de Olesa de Montserrat e de Esparreguera, em uma área próxima a Barcelona, e formarão uma conexão com a estação regional de trem.

Segundo a BYD, os veículos substituirão modelos à diesel antigos, trazendo pela primeira vez um transporte livre de emissões para a rota M3 da TGO.

Os ônibus foram adquiridos pela TGO DX e Transportes Urbanos y Servicios Generales, S.A.L. (TUSGSAL), que também é um dos clientes da BYD, pertence ao Grupo Direxis, o maior grupo de transporte público que serve a região da Catalunha.

“O pedido da TGO DX expande a base de clientes da BYD na Catalunha e aumenta a presença da empresa nas frotas de Operadores de Transporte Público (PTO) em toda a Espanha. Com entrega programada para o 3º trimestre de 2022, o modelo de 12 metros da BYD foi lançado na feira Busworld de 2019, ganhando posteriormente o prestigioso prêmio iF Design Award em 2020. Junto com a divisão DB Regio Bus da Deutsche Bahn no início deste ano, a TGO DX é uma das primeiras operadoras a encomendar o modelo de 12 metros da BYD”, informou a fabricante, em nota.

MODELO

A última geração do modelo BYD de 12 metros foi atualizada com relação ao modelo anterior.

De acordo com a fabricante, a chave entre eles é uma capacidade aprimorada da bateria de 422 kWh para fornecer maior densidade de energia e maior autonomia.

Além disso, um sistema totalmente novo de ar-condicionado reduz ainda mais as emissões de CO2, enquanto um controlador chamado ”6 em 1” integra perfeitamente os principais componentes eletrônicos do veículo. A ferramenta de gerenciamento de frota FleetLink monitora os parâmetros de desempenho em toda a frota de ônibus elétricos, suportando uma ótima utilização e o máximo tempo de atividade.

Para os passageiros, o modelo de 12 metros da BYD apresenta seu conceito ‘Home from Home’. Em nota, a fabricante informa que “o design, os materiais e a integração da mais recente tecnologia proporcionam aos passageiros uma experiência segura, confortável e verdadeiramente acolhedora”.

SUSTENTABILIDADE

“Com a eletrificação da linha M3, continuamos a trabalhar para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável incluídos na Agenda 2030 das Nações Unidas”, afirmou o CEO da TGO DX, Carme Pros, em nota.

“Isto foi possível como resultado da assinatura de um acordo com a Direção Geral de Transportes e Mobilitat da Generalitat de Catalunya e Ferrocarrils de la Generalitat de Catalunya, a quem gostaríamos de agradecer sinceramente por terem depositado sua confiança em nós para continuar descarbonizando a mobilidade”, disse também.

“Este é mais um passo significativo para a BYD em nossa missão de levar o transporte público 100% elétrico sem emissões às cidades e vilas de toda a Europa”, considerou o diretor de vendas da BYD Iberia, Joaquin Bellido.

“Na Espanha e em toda a Península Ibérica, a marca BYD está continuamente ganhando confiança, com nossa tecnologia comprovada para oferecer desempenho excepcional no clima quente do sul da Europa. Estou muito confiante de que os passageiros ficarão encantados com sua nova experiência nos ônibus elétricos BYD, especialmente com o design ‘Home from Home’ que tornará suas viagens locais ainda mais confortáveis e relaxantes”, finalizou.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Continue lendo

Notícias

Desmonte de rede de narcotráfico entre França e Espanha termina com 12 indiciados

Artigo

em

Por



Doze pessoas foram indiciadas nesta sexta-feira (22) após o desmantelamento de uma rede de narcotráfico entre a Espanha e a França, informaram fontes próximas da investigação.

Seis delas estão em prisão provisória, outras cinco sob controle judiciário e outra foi posta em liberdade, acrescentou a fonte.

Em operação conjunta entre a Guarda Civil espanhola e a gendarmeria francesa, 14 pessoas foram detidas na segunda-feira, suspeitas de estar envolvidas no tráfico de drogas.

Esta importante rede distribuía entorpecentes no sudoeste da França a partir do País Basco espanhol, informou a gendarmeria em um comunicado.

Na operação policial, foram apreendidos “191.000 euros, 15 veículos e 15 quilos de maconha”, acrescentou a fonte.

“O caso ilustra a cooperação exemplar entre a gendarmeria e a Guarda Civil na luta contra o tráfico transfronteiriço”, destacou a gendarmeria.

Continue lendo

+ VISTOS